A morte de Rainer Castor

Em 22 de setembro de 2015 faleceu Rainer Castor, um dos autores da série “Perry Rhodan”. Ele tinha 54 anos de idade e sofreu um infarto fulminante, o que foi uma triste e inesperada surpresa tanto para a equipe de autores quanto para os leitores da série, já que ele era considerado o maior conhecedor do universo de “Perry Rhodan” que já escreveu para a série de forma profissional.

Rainer Castor (1961-2015)

Rainer Castor (1961-2015)

Embora já gostasse de escrever contos ambientados no universo da série “Perry Rhodan” desde os anos 80, quando era apenas um leitor da série, Rainer Castor somente começou a escrever profissionalmente em 1996, quando publicou uma trilogia de histórias na coleção dos romances planetários que explorou de forma fascinante o personagem Atlan e alguns mistérios do passado da Via Láctea, como a história dos lemurenses e dos transmissores solares.

Em 1999 ele passou a fazer parte da equipe de autores fixos da série “Perry Rhodan”. O primeiro episódio escrito por ele foi o 1973, intitulado “Matéria”, que foi muito elogiado pelos leitores. Pouco tempo depois ele também tornaria-se o principal responsável pela revisão dos “exposés”, as sinopses básicas que dão origem a cada episódio da série. Seu conhecimento enciclopédico da história, da tecnologia e dos personagens da série fizeram com que ele se tornasse ao longo do tempo o principal guardião da continuidade da série, o que contribuiu para aumentar imensamente a consistência interna da mesma a partir do final dos anos 90. Ele também sempre estava disponível para tirar as dúvidas dos outros autores em relação a alguns detalhes das histórias que eles estavam escrevendo, o que evitava erros de continuidade e aumentava o realismo da série.

Os livros de Rainer Castor eram extremamente técnicos e descritivos, sendo seu estilo bastante parecido com o de Karl-Herbert Scheer, que sabia descrever como ninguém novidades tecnológicas e batalhas espaciais. A quantidade de informações históricas e científicas que Rainer conseguia colocar em suas histórias era impressionante, e seus livros passavam aos leitores uma sensação de realismo sem precedentes, como se o universo rhodaniano fosse algo que realmente estivesse acontecendo…

Devido ao seu tamanho e à sua longevidade, Rainer Castor considerava que a série “Perry Rhodan” era um “fenômeno em si mesma”, como ele definiu certa vez de forma bastante precisa: “Quanto mais a série ‘Perry Rhodan’ avança, mais ela adquire uma fascinação própria, que é independente do conteúdo das histórias”.

Dando continuidade a uma antiga tradição da editora VPM, Rainer Castor foi homenageado na capa do episódio 2832, intitulado “O Inimigo Interior”, que foi publicado em novembro de 2015. A capa também mostra uma nave portadora de 3.000 metros de diâmetro da classe Supernova, uma de suas mais importantes contribuições ao legado tecnológico da série.

Capa do episódio 2832, "O Inimigo Interior"

Capa do episódio 2832, “O Inimigo Interior”

Anúncios

Uma resposta to “A morte de Rainer Castor”

  1. Agostinho Filho Says:

    Gente esses autores de Perry Rhodan morrem todos de infarto!!! Acho que a VPM deveria pagar uma academia e um plano de saúde pros autores…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: