Informações sobre o episódio 2800 e o novo ciclo de PR, “O Espaço Atemporal”

Em 17 de abril de 2015 foi publicado na Alemanha o episódio 2800 da série “Perry Rhodan”, intitulado “Fenda Temporal”. Esta história, escrita pela autora Michelle Stern, deu início ao ciclo “O Espaço Atemporal” (episódios 2800 a 2899), que é uma continuação direta do ciclo anterior, “O Tribunal Atópico” (episódios 2700 a 2799). Antes do lançamento do volume a VPM divulgou uma breve apresentação do novo ciclo da série:

No ano 1517 do Novo Calendário Galático a Via Láctea está sob o domínio do Tribunal Atópico. Para encontrar meios de derrotar o inimigo, Perry Rhodan precisa chegar ao Espaço Atemporal, a misteriosa região do universo onde vivem os líderes do Tribunal.

Com a nave portadora Ras Tschubai e a misteriosa Chuvanc, uma nave capturada de um juiz atópico, Perry Rhodan começa seu voo para o desconhecido. O objetivo do terrano imortal é a “Sincronia”, uma área que dá acesso ao Espaço Atemporal. Porém algo não sai como planejado e a expedição chega a uma região do universo totalmente inesperada. Logo Perry Rhodan percebe que sua viagem mudará toda a visão que o Humanidade tinha do universo até agora…

Para divulgar melhor o início do ciclo a VPM tomou a decisão inédita de publicar o episódio 2800 com duas capas diferentes: enquanto a capa principal mostra Perry Rhodan e a cientista Sichu Dorksteiger, a capa alternativa mostra Perry Rhodan e um tiuphore, uma raça que desempenhará um importante papel no novo ciclo.

A capa principal do episódio 2800

A capa principal do episódio 2800

A capa alternativa do episódio 2800

A capa alternativa do episódio 2800

Neste episódio também foi publicado um interessante resumo do ciclo “O Tribunal Atópico”, que recapitula os principais acontecimentos do ciclo de forma bem objetiva:

Quando a Lua finalmente retorna à sua órbita original em torno da Terra no ano 1512 NCG após um longo período de ausência, os terranos percebem que ela está muito modificada: uma “tecnotrama” verde cobre completamente sua superfície e um campo repulsor impede a aproximação de qualquer objeto. O rato-castor Gucky tenta teleportar-se para a Lua, porém é arremessado violentamente de volta e entra em coma. Quando finalmente desperta, dois anos depois, ele descobre que adquiriu paracapacidades totalmente novas, que contudo ameaçam sair de controle.

Em 1514 NCG a Stardiver, uma nave comandada por Perry Rhodan e equipada com o novo propulsor hipertrans, que permite entradas e saídas extremamente precisas do hiperespaço, consegue pousar na Lua. Lá ele encontra-se com os onriones, seres humanoides a serviço de uma organização chamada Tribunal Atópico. Pouco tempo depois este Tribunal demonstra todo o seu poder: os juízes atópicos Chuv e Matan Addaru Dannoer acusam Perry Rhodan e Gaumarol da Bostich de serem dois dos três responsáveis pela “Ecpirose de GA-yomaad”, a aniquilação da Via Láctea, que deve ocorrer num futuro próximo. Durante o julgamento a testemunha principal de acusação é Julian Tifflor, um dos mais antigos colaboradores de Perry Rhodan. Todo o processo dura apenas algumas horas e os dois acusados são declarados culpados, sendo condenados a um banimento de 500 anos para um “mundo escuro” dos onriones.

Pouco a pouco os atopes e seus ajudantes (os onriones, os transmorfos jajs, os “tecnólogos” tolocestes e os tesquires, propagandistas do Tribunal) acabam com toda a resistência dos povos da Via Láctea: a nave Júlio Verne é destruída, os voos interestelares são severamente limitados, a United Stars Organization (USO) é declarada uma organização terrorista e o Império Arcônida é desmantelado, cujo coração – o sistema Árcon – é abandonado pelos arcônidas e entregue pelo Tribunal aos seus habitantes originais, os naats. No longo prazo a Via Láctea será dividida em esferas de influência, os chamados “domínios”, que impõem limites severos aos voos interplanetários e interestelares.

A USO e a LTL (Liga dos Terranos Livres) trabalham, em conjunto com vários outros povos e organizações, contra o Tribunal. Eles correm contra o tempo para encontrar uma defesa contra a principal arma do inimigo, os torpedos lineares, que dão ao Tribunal uma vantagem estratégica decisiva. Reginald Bell, o velho companheiro de Perry Rhodan, é enviado inesperadamente para a Cidade Onipresente, uma estranha cidade que se estende por milhares de planetas e que é habitada por cientistas que estudam os artefatos deixados pelos cosmocratas e caotarcas. Um deles é um “selo” dos caotarcas, que impregna o ativador celular de Reginald Bell com uma “aura do caos”. Bell fica fascinado pela cidade e decide tentar desvendar seus mistérios.

Contudo nem todos colocam-se contra o Tribunal: alguns povos, como os tefrodenses, os apoiam abertamente. Seu líder é o ambicioso Vetris-Molaud, que vê a si próprio como o verdadeiro sucessor de Perry Rhodan. Ele consegue um ativador celular e aumenta cada vez mais seu poder ao longo dos anos, chegando inclusive a reivindicar a herança dos senhores da galáxia. Seus dois maiores colaboradores são seu próprio Exército de Mutantes, que ele usa de forma inescrupulosa, e a misteriosa “reencarnação” de um senhor da galáxia esquecido, o Fator IV original Zeno Kortin.

Perry Rhodan e Bostich conseguem fugir de sua prisão atópica e descobrem que se encontram na galáxia Larhatoon, a pátria dos lares, que encontra-se há séculos sob as diretrizes do Ordo Atópico, a “paz forçada” dos atopes. Lá eles fazem uma aliança com a resistência, liderada pelo lare Avestry-Pasik, e descobrem indícios de uma antiga conexão entre Larhatoon e a Via Láctea. Durante sua permanência em Larhatoon eles se tornam testemunhas do cotidiano de uma galáxia cujo destino é influenciado há séculos pelo Tribunal Atópico.

Em Larhatoon Rhodan descobre que o Tribunal origina-se do Espaço Atemporal, uma área do universo que só pode ser alcançada por uma nave de um juiz atópico que seja pilotada por alguém que já esteve além das fontes de matéria. Isso leva Rhodan a tomar a arriscada decisão de tentar capturar uma nave de um juiz atópico. Embora ele não consiga fazer isso em Larhatoon, durante suas tentativas ele acaba descobrindo que os dois juízes atópicos ativos na galáxia vieram do futuro distante. Após seu retorno à Via Láctea ele finalmente atinge seu objetivo: ele conquista a nave do juiz Chuv, que passa a ser pilotada por Atlan. Juntamente com a nova nave portadora Ras Tschubai ela chega à “Sincronia”, o único ponto de acesso ao Espaço Atemporal.

O ciclo “O Tribunal Atópico”, o primeiro concebido pelos novos coordenadores-gerais Wim Vandemaan e Christian Montillon, foi um dos mais surpreendentes de toda a série, pois promoveu mudanças radicais que alteraram completamente o perfil de vários personagens, povos e planetas da série. Se o ciclo “O Espaço Atemporal” mantiver o mesmo nível do anterior, certamente os leitores continuarão se surpreendendo com a imaginação e a ousadia dos novos coordenadores, que não têm medo de promover mudanças significativas no “status quo” da série para ampliar suas possibilidades narrativas.

A capa principal completa do episódio 2800 (com Perry Rhodan, a cientista Sichu Dorksteiger e a nave portadora Ras Tschubai)

A capa principal completa do episódio 2800 (com Perry Rhodan, a cientista Sichu Dorksteiger e a nave portadora Ras Tschubai)

A capa alternativa completa do episódio 2800 (com Perry Rhodan, um tiuphore e a nave portadora Ras Tschubai)

A capa alternativa completa do episódio 2800 (com Perry Rhodan, um tiuphore e a nave portadora Ras Tschubai)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: