Algumas reflexões sobre o reinício da publicação de PR pela SSPG

Em 27 de julho de 2014 a editora SSPG estreou o novo site oficial brasileiro da série “Perry Rhodan” (www.perry-rhodan.com.br), que foi totalmente reformulado para comemorar o reinício da publicação da série pela editora, que não lançava histórias inéditas desde janeiro de 2007. Gostaria de aproveitar a oportunidade para esclarecer aos leitores do blog algumas peculiaridades desta nova fase da série no Brasil.

Como todos os fãs da série já sabem, a SSPG publicou 99 volumes duplos da série “Perry Rhodan” entre junho de 2001 e janeiro de 2007, referentes aos episódios 650 a 847 da série. Isso significa que a editora publicou integralmente os ciclos “O Concílio dos Sete” (episódios 650 a 699) e “Afilia” (episódios 700 a 799), além de boa parte do ciclo “Bardioc” (episódios 800 a 867). Apesar do desejo da editora de continuar a publicar a série, já havendo inclusive na época um planejamento do cronograma de publicação até o episódio 1000, infelizmente a série teve que ser interrompida devido às baixas vendas, que provocaram déficits mensais crescentes durante todo o ano de 2006. Desde o início de 2007 a editora passou apenas a vender seu estoque, o que foi suficiente para pagar parte das dívidas acumuladas e manter uma escala mínima de funcionamento até hoje.

Como a editora chegou a tal situação? Após muita reflexão chegamos à conclusão de que houve um conjunto de fatores que fizeram com que o projeto não obtivesse os resultados esperados. Esses fatores foram os seguintes:

– Em 2000, quando me reuni com os editores da série na sede da editora VPM, na Alemanha, mostrei-lhes um plano de negócios baseado numa estimativa de vendas de até 2.000 exemplares de cada volume da série, número considerado factível diante das informações de que dispúnhamos naquele momento. Como sabíamos que a tiragem média da primeira edição brasileira da série (entre 1975 e 1991) havia sido de 12.000 exemplares, imaginávamos que, sem uma distribuição em massa, conseguiríamos algo entre 1.000 e 2.000 compradores entre todos esses “órfãos” da série no Brasil. Porém ao longo do tempo percebemos que muitos desses fãs (talvez mais de 70% deles) compravam a série apenas porque ela era barata e podia ser encontrada com facilidade, e não porque eram fãs ardorosos que queriam ler “Perry Rhodan” de qualquer maneira… Como nosso preço era maior que o da edição antiga (devido à baixa tiragem) e como nossos canais de distribuição eram muito limitados, acabamos descobrindo que o número médio de pessoas que efetivamente estavam dispostas a comprar os novos volumes era de aproximadamente 500 leitores, sendo que cerca de metade deles não assinava a série regularmente, apenas a comprava de forma esporádica…

– Entre 2001 e 2007 a complexidade da editora aumentou muito, sendo necessário contratar vários novos funcionários para atender os clientes e gerenciar o estoque, que aumentava constantemente. Isso acabou aumentando gradativamente os custos fixos de todo o projeto, apesar das receitas não aumentarem na mesma proporção.

– Tanto o editor-chefe (o Rodrigo de Lélis) quanto o editor-assistente (eu mesmo) nunca puderam se dedicar integralmente à editora, tendo que dividir seu tempo entre seus empregos “normais” e todo o trabalho de produção e divulgação da série. Isso certamente foi um fator complicador, pois simplesmente não tínhamos tempo disponível para executar todas as ações necessárias para a conquista de novos leitores. A falta de tempo, juntamente com o fluxo de caixa apertado, são os motivos pelos quais nunca conseguimos eliminar os maiores gargalos para o real crescimento da série “Perry Rhodan” no Brasil: a divulgação e a distribuição. Sem investimento nesses dois itens cruciais não foi possível mostrar as qualidades da série às novas gerações de leitores, o que limitou bastante seu mercado no Brasil.

Tendo em vista esses fatores e considerando toda a experiência acumulada desde 2001, acabamos chegando à conclusão de que era possível voltar a publicar a série, desde que abandonássemos a publicação de volumes impressos e passássemos a publicar somente volumes digitais. Esta medida traz uma série de vantagens:

– Enorme simplificação nas atividades de produção dos volumes, cadastramento de pedidos, envio dos volumes aos clientes e gerenciamento do estoque, que podem ser feitos de forma praticamente automática; dessa forma o número necessário de pessoas para estas tarefas é reduzido drasticamente.

– Redução prevista de até 90% tanto nas despesas quanto nas receitas da editora (em relação ao período até 2007), o que reduz enormemente os riscos do projeto; mesmo que haja prejuízo em algum determinado período, é muito mais fácil administrar valores pequenos do que grandes.

– Redução de cerca de 50% tanto no preço dos volumes quanto no número necessário de leitores para manter a viabilidade econômica da edição.

Diante do exposto podemos dizer que este é um momento histórico para a série no Brasil, pois conseguimos encontrar um modelo de produção e venda dos volumes que é plenamente sustentável no longo prazo, mesmo com um número relativamente reduzido de leitores. Enquanto uma edição impressa precisa de pelo menos 500 compradores para ser minimamente viável, esse número é reduzido praticamente pela metade na edição digital. Além disso o preço dos volumes digitais brasileiros é praticamente o mesmo da edição impressa alemã, o que fará com que, pela primeira vez desde 1991, os fãs brasileiros de “Perry Rhodan” tenham acesso a histórias inéditas da série por um preço bastante semelhante ao pago pelos fãs alemães. Certamente esta será uma das principais vantagens da edição digital para os leitores…

Maiores informações sobre todo o processo que levou ao reinício da série encontram-se disponíveis na seguinte postagem do blog:

www.cesarmaciel.wordpress.com/2014/02/28/o-reinicio-da-publicacao-de-pr-pela-editora-sspg

Anúncios

6 Respostas to “Algumas reflexões sobre o reinício da publicação de PR pela SSPG”

  1. Rodrigo T. Says:

    Olá! Com certeza estamos todos entusiasmados com esta nova fase. Como leitor, posso dizer que vocês pegaram o melhor das características do projeto de traduções e conseguiram agregar um modelo de negócios capaz de coexistir e contar com o apoio dos leitores do projeto. Tenho visto muita gente comentando que já fez a compra dos dois primeiros exemplares, incluindo eu mesmo. Acredito que vocês acertaram em tudo, de leiautes e formatos ao preço e intervalo das edições. Fica a sugestão: um serviço de assinatura da série digital, onde cada assinante receba os 4 volumes por mês seria muito benéfico também (começando do 650 e do 800 simultaneamente). Abraço e sucesso na nova fase.

    • César Maciel Says:

      Rodrigo, muito obrigado pelos elogios! Pretendemos oferecer a opção de assinatura dos volumes digitais assim que tivermos um número razoável de episódios lançados neste novo formato. Um abraço!

  2. Hugo Morgado Says:

    Além de todos os fatores expostos temos o fato de existem varios dispositivos que facilitam a leitura em formato digital. Apesar de gostar dos livros impressos, temos que reconhecer que os e-books vieram para ficar.

  3. Jorge Luis Azevedo Says:

    Olá, César, parabéns pelo blog. Como leitor (nacional) de Perry Rhodan, fiquei contando os dias para o lançamento da edição digital dos novos volumes, e já adquiri o primeiro episódio, o 848, e não vejo a hora de lançarem os seguintes.
    Minha dúvida é: a editora SSPG pretende lançar as edições impressas dos novos episódios também? Se sim, há alguma previsão?
    Um forte abraço, e sucesso nesta nova fase “rhodaniana”.

    • César Maciel Says:

      Jorge, no momento a editora não pretende lançar edições impressas dos episódios a partir do 848 por questões de custo. Isso somente seria possível se a demanda pela série aumentasse bastante… Um abraço!

  4. Marcos Evangelista Says:

    Só leitor do PR desde que tinha 10 anos, mesmo depois que saiu das livrarias, passei a comprar nos sebos. Quando a SSPG começou, fiz minha assinatura, e agora novamente sou comprador digital tanto da SSPG como do Projeto Traduções. Se não fosse o esforço de vocês não teria mais meus livros queridos.
    Um grande abraço e vamos continuar com o universo rhodiano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: