O dilema linguístico dos fãs de PR

Quando comecei a ler a série “Perry Rhodan”, em 1985, eu não sabia que ela já tinha mais de mil volumes publicados na Alemanha… Comecei a tomar consciência disso após ler um artigo sobre o ciclo “A Armada Infinita” (episódios 1100 a 1199) que foi publicado nos episódios 258 e 259 da edição brasileira da série. Fiquei absolutamente fascinado com o tamanho real da série, e a partir de então passei a pensar seriamente na possibilidade de aprender alemão para poder ler a série toda… Tal vontade aumentou ainda mais em 1986, quando encontrei alguns exemplares alemães da série numa livraria daqui de Belo Horizonte. Apesar de não entender nada, passei meses apreciando suas capas e imaginando como seriam suas histórias… Acabei tentando traduzir algumas páginas dos mesmos com a ajuda de um dicionário, porém esta foi uma tarefa tão árdua que desisti rapidamente da ideia… Gastar um dia inteiro para traduzir apenas uma página (e com um resultado final sofrível) era ineficiente e cansativo demais… Esta experiência me fez perceber que, se quisesse realmente ter acesso a toda a série, eu teria inevitavelmente que aprender a língua alemã algum dia.

Entre 1995 e 2003 finalmente estudei a língua de forma periódica, inicialmente por conta própria e posteriormente com uma professora particular. Durante este período traduzi inúmeros resumos da série para os fanzines do Perry Rhodan Fã-Clube do Brasil e também comecei a acompanhar a edição alemã regularmente através de uma assinatura. Dessa forma consegui, pouco a pouco, realizar meu sonho de infância… Apesar de nunca ter conseguido dominar completamente o idioma, consigo ler sem grandes dificuldades, o que é suficiente para os meus objetivos.

Nos últimos anos tenho percebido, através de contatos com outros fãs da série, que minha história é semelhante à de inúmeros outros leitores estrangeiros da série, ou seja, que não têm o alemão como língua nativa. Na Holanda, no Japão, na França, no Brasil, na República Tcheca e nos EUA esta história tem se repetido, com pequenas variações, centenas de vezes nas últimas décadas: alguém conhece a edição local da série “Perry Rhodan”, percebe que milhares de histórias ainda não foram traduzidas e começa a buscar formas de conhecer todo o universo da série, o que invariavelmente passa pelo conhecimento da língua alemã…

Por quê isso acontece sempre da mesma forma em todos esses países? Bem, se considerarmos a série principal e todas as séries secundárias, o universo ficcional de “Perry Rhodan” tem atualmente cerca de 4.350 histórias, o que representa mais de 300.000 páginas de texto… Isso faz com que os fãs estrangeiros da série sempre tenham acesso a apenas uma fração de todo o universo ficcional de “Perry Rhodan”, não importando o quão avançadas estejam suas respectivas edições locais. Embora os fãs holandeses estejam em melhor situação do que todos os outros (pois na Holanda a série já passou do episódio 2200), mesmo assim eles ainda não têm acesso a quase metade de todo o universo da série… Isso acontece, em maior ou menor grau, com todos os leitores estrangeiros, como os japoneses (950 histórias traduzidas), os franceses (738 histórias traduzidas), os brasileiros (734 histórias traduzidas) e os tchecos (615 histórias traduzidas). A situação dos fãs norte-americanos, ingleses e australianos é ainda mais dramática, pois apenas 156 histórias foram traduzidas para o inglês, o que significa que nada menos do que 96% de todo o universo rhodaniano ainda esteja inacessível para eles… É importante salientar que, embora existam várias traduções amadoras de histórias da série feitas pelos próprios fãs (especialmente em inglês, francês e português), estas traduções adicionais não alteram significativamente o problema mencionado, ou seja, a eterna lacuna existente entre as edições traduzidas e a série original alemã…

Tal situação acaba gerando um outro fenômeno, o do isolamento de cada um dos principais grupos linguísticos da série: alemão, holandês, japonês, francês, português, tcheco e inglês. Como a maioria dos fãs estrangeiros não domina os idiomas nos quais há mais material rhodaniano disponível, eles tendem a formar fã-clubes e grupos de discussão cujo escopo de atuação limita-se apenas às histórias já lançadas em suas respectivas línguas nativas. Isso faz com que cada grupo linguístico fique isolado dos outros, pois um fã norte-americano, por exemplo, não consegue acompanhar as atividades de fã-clubes japoneses e franceses, e vice-versa. Apenas fãs bilíngues, trilíngues ou poliglotas conseguem estabelecer um diálogo relevante entre os grupos linguísticos dos quais fazem parte… Para a grande maioria dos fãs, entretanto, o universo rhodaniano estará sempre limitado às histórias disponíveis em sua língua nativa.

Como conclusão pode-se dizer que, para os fãs casuais de “Perry Rhodan”, conhecer apenas uma das sete línguas mencionadas talvez seja suficiente, pois este tipo de fã está interessado apenas numa boa leitura ocasional de ficção científica, e não em conhecer toda a série. Porém para os fãs mais ardorosos, que querem ter acesso a toda a série, é altamente recomendável aprender alemão, pois apenas quem domina o idioma tem acesso instantâneo às mais de 4.350 histórias da série, bem como aos inúmeros sites, blogs e grupos de discussão alemães, austríacos e suíços, que são bastante completos e ativos. E saber pelo menos duas ou três das sete línguas “rhodanianas” possibilita a interação com fãs de outros grupos linguísticos, o que certamente é uma experiência bastante interessante e enriquecedora.

Em suma, o conhecimento de cada uma das sete línguas mencionadas dá acesso atualmente (junho de 2014) ao seguinte número de histórias da série:

– Alemão: 4.350 (100%)
– Holandês: 2.293 (52,7%)
– Japonês: 950 (21,8%)
– Francês: 738 (17,0%)
– Português: 734 (16,9%)
– Tcheco: 615 (14,1%)
– Inglês: 156 (3,6%)

Anúncios

2 Respostas to “O dilema linguístico dos fãs de PR”

  1. DIO Says:

    Gostaria que fosse feita uma experiência com este artigo, já que ele trata de idiomas… Apesar da série Perry Rhodan ser em alemão, o idioma mais falado no ocidente, onde a série Perry Rhodan é mais difundida, é o inglês. Apesar do blog ter a opção de tradução do português para o inglês, gostaria de pedir que este artigo fosse também traduzido para o inglês, não apenas pelo tradutor automático, mas, devidamente revisado. Dai farei divulgação do artigo, em vários locais de fãs da série de idiomas diferentes, mas com um link de acesso para que seja lido em inglês… Veja César, a possibilidade de realização de tal formato, e vejamos posteriormente se surgirão acessos e comentários originários de fora do Brasil. Até mais, DIO

  2. César Maciel Says:

    Dio, muito obrigado pela sugestão. Porém, como a tradução automática do português para o inglês feita pelo Google fica com uma qualidade bastante aceitável, creio que não seja necessário fazer a tradução manual…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: